Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Bipp Bipp... Stop às ofensas!!

A Bipp, associação que luta para que a inclusão de pessoas com deficiencia seja uma realidade, lançou me o desafio.

 

Pensar numa palavra, ligada a alguma deficiência que eu usasse pontualmente para insultar alguém.

 

E esta expressão ("és mesmo def!!..."), veio me imediatamente à cabeça.

 

Não sei bem porquê, mas uso a desde miúda, quando estou irritada com alguém. Uma parvoice, uma estupidez, isso sim.. Algo incutido em nós por uma sociedade com poucos valores e onde nos vamos "deixando andar"...

 

A deficiência não é insulto e devemos ser mais regrados e atentos à forma como usamos as palavras, que podem estigmatizar e magoar.. Quero ensinar esta premissa aos meus filhos, quero ajudar a despertar mentes e quero ajudar esta associação na integração de pessoas deficientes no mundo real.

 

Em www.Bipp.pt encontrei como através de um simbólico mas importante donativo que fiz. Ahhh... E agora... Vou desafiar alguém a seguir o meu exemplo.. Então @a_Marrafa !! Vamos lá, ajudar a mudar mentalidades Ritinha !! Também te queremos de adesivo na boca a assumir algo que não devias, tal como eu e tantas outras pessoas, ter passado uma vida a dizer....

IMG_20151130_170008.jpg

Baby Gil OUT, "um dois em um" que vai valer a pena

Baby Gil OUT – 20 de Junho – Jardins da Casa do Gil

Porque o seu bebé é mesmo importante!

unnamed (2).jpg

 O Baby Gil OUT está de volta! Um dia inteiro de actividades para bebés dos 0 aos 36 meses e também para pequeninos com 3 e 4 anos! E uma oportunidade fantástica para todas as famílias passarem um dia diferente.. enquanto ajudam. Não há melhor conjugação, pois não? Pelo menos para mim, é a situação "mais que perfeita".

 

Um dia especial com experiências únicas para os vossos bebés, que vai ajudar a Fundação a cuidar de muitos outros bebés que vivem numa situação mais frágil! E por isso, decidi divulgar. Os nossos bebés têm tanta sorte... e pensar que outros existem, mas sem a mesma... deixa-me de coração nas mãos. 

 

O Baby Gil é  o primeiro negócio social da Fundação do Gil e um projecto que reforça laços entre a Fundação do Gil e a sociedade civil, uma vez que “abre as portas” da Casa do Gil a famílias que não beneficiam do trabalho levado a cabo pela Fundação.

 

O Baby Gil é um projecto para os nossos bebés, porque eles vão usufruir de tantas coisas giras e ao mesmo tempo, estaremos a ajudar esta Fundação a angariar fundos.. para ajudar outros bebés que vivem situações complicadas e críticas. No fundo, ajudar à sustentabilidade da Fundação, visto a receita gerada pelo projeto reverter na íntegra para as ações sociais da Fundação, tais como Unidades Móveis de Apoio ao Domicílio e a manutenção da Casa do Gil.

 

O projeto Baby Gil OUT é apoiado pela Nunex, D’Aveia, Nutriben e Boiron, e recomendado pelo Barrigas de Amor e Pumpkin. E agora, claro, pela minha/nossa Barriga Mendinha.

unnamed (3).jpg

 

 

Se puderem passem lá. Vão ver que é um "2 em 1" fantástico. Fazer bem aos nossos e aos "dos outros" é uma sensação duplamente compensadora. 

 

A participação em cada sessão Baby Gil OUT tem um valor de 10€  e cada sessão tem a duração de 45 minutos. A inscrição deve ser realizada através do e-mail: geral@fundacaodogil.pt.

A Ajuda de Mãe, recebeu-nos para o almoço de Natal

 

Passaram já 3 dias e acreditem, que são poucas as vezes que o que fica de um acontecimento é maior do que as palavras que possa escrever. Pelo menos para mim. Que gosto de falar e escrever... E esta foi uma delas. Por isso demorei estes dias a tentar perceber o que queria mesmo passar acerca destas curtas mas sensíveis horas. O que iria escrever.

 

Explico-vos que tudo começou por motivos particulares, pessoais mas essa foi só a forma de ligar a ignição, porque a vontade, uma muito grande vontade me persegue há anos para fazer do Natal algo com verdadeiro significado.

 

Sim, mesmo com filhos, todos me questionam acerca disso... Sim, claro que os filhos restituiram, sem dúvida, alguma magia ao Natal, mas acreditem ou não, também sublinharam exatamente aquilo que me queixei acerca desta quadra durante tantos anos. Porque, nas verdade lhes queria dar outra educação, outras diretrizes... e é tão difícil vivendo eles numa sociedade que os "engole" e lhes formata a forma de estar na vida...

 

O consumismo exagerado. A obrigação de dar prendas. Não uma, não duas, não três... mas muitas prendas. Poucas são as pessoas que sabem comprar com consiência, que são "bons dadores" de presentes (aqueles que te estudam e sabem o que adoras, precisas ou que te sensibiliza...). Odeio assistir à corrida aos centros comerciais (e sim, faço-o o menos possível, acreditem). E mais ainda... tendo em conta a situação económica gritante em que o país se encontra, saber que a média gasta em prendas, festa de consoada, decorações e afins este ano foi... 394 euros ( não meus amores não é pouco, tendo em conta que há milhares a viver de ordenados mínimos) é incomodativo... 

 

Ok!! Mesmo assim gasta-se, gasta-se, com coisas que tantas vezes ninguém dá a importância devida. E não me venham dizer que é a Festa da Família. Sim, claro que assim o fosse no coração de cada um e a União continuasse a ser o mote... mas raramente o é. Quando a família é efetivamente unida., quando se complementa, quando os membros se amam, ajudam, partilham experiências tanto agora, como no resto do ano assim tem toda alógica. Agora  digam-me, em consciência.. quantas destas festas de Natal.. o são... só por ser?!!

 

Enfim... estas são efetivamente as explicações possíveis. Sim, porque isto da Solidariedade, não pode também surgir... só porque é giro, fica bem ou é suposto.. ou é Natal. Os "porquês" de cada um existem sempre, não me venham com tretas.

 

Bem, mas estamos então a falar do Natal, não é? E dos sentimentos que nos últimos anos me agarravam, mal a época e a música de sininhos em todos os cantos começava (grrrr... que irritante...).

 

Este ano, finalmente agi, em vez de pensar só na pena que tenho disto tudo, em vez de me lembrar com sinceridade de quem não consegue ser feliz na época das "festas felizes". Um pequeno gesto, o meu, eu sei, não mudará o mundo, mas a verdade é que todos os grandes passos são precedido pelo embalo. E este acredito ser o embalo. Para mim...

 

O tal sentido que eu queria encontrar e que... encontrei. Porque o dia de Natal foi dedicado a quem me pareceu precisar mais de mimos e sorrisos sinceros que algumas das pessoas que eu amo... mas que vejo todos os anos e com quem posso e prefiro partilhar momentos mais sinceros e genuínos. E que não são orfãs, e que não sofrem agressões e ameaças, e que não passam fome, e que não são postos de parte pela sociedade, e que não passam privações, frio ou lacunas fortes emocionais...

 

Decidi 2 dias antes.. tudo muito "à Mendinha" portanto  ;)... Contatei a eng Madalena Teixeira Duarte, a atual diretora da Ajuda de Mãe e propus-me a almoçar com as Mamãs (umas adolescentes outras já mais crescidinhas, sendo que a mais velha... tinha 23....), levando-lhes boa disposição, a minha Matilde para brincar com os filhotes delas (o Afonso só não foi porque o dia 25 foi passado com a família do pai) e a minha irmã Mariana a acompanhar-me. Só isso... já as fez sair da rotina, fartaram-se de me fazer perguntas, sobre a carreira, sobre os bebés... tivémos conversas triviais mas tão saborosas... como em qualquer mesa de Natal... não nos esqueçamos que elas, são neste momento e quem sabe, por mais alguns e bons anos, a família umas das outras...

 

Mais... consegui falar com duas marcas que me têm acompanhado nos últimos tempos e que sabia que não  me deixariam mal: A Mustela que ofereceu a cada uma delas um kit para os bebés e um creme reafirmante para elas, e a Hollywood Nails, que as presenteou com um verniz que muda de cor conforme o calor!! E pois... digo-vos assim sim, vale a pena dar prendas. Assim sim, sei que estes pequenos mimos as vão alegrar, sabem porquê? Porque elas têm efetivamente tão pouco. Não trabalham, estão num processo difícil de aceitação dos filhos, da nova vida, muitas vezes frutos de acasos pouco agradáveis, violações, relações conflituosas e até onde a agressão era o prato do dia... Estão a "reprogramar-se para a vida", para uma vida onde as crianças que geraram terão de ser o mais importante, mas uma vida onde elas querem e têm todo o direito a ser felizes e bem resolvidas, mesmo que os seus próximo s as renegem.

 

Sim, para elas estes presentes foram, acredito muito importantes. Mas mais importante ainda, acredito, tenha sido o fato de perceberem que Mães mais velhas, mais ocupadas, aparentemente modernas, cosmopolitas, profissionais... entendem o que se passa "daquele lado", que se preocupam com o seu vazio, com os seus receios, angústias, questões. Sim, porque eu representei um bocadinho disso tudo, entendem? Eu não sou uma monitora, uma voluntária, uma professora.

 

Ser Mãe é a magia mais grandiosa de toda a vida, mas por isso mesmo, também pode ser a experiência mais aterradora. Imaginem só, se nós nos nossos vintes e muitos, trintas, fomos abraçadas pelas dúvidas.. imaginem estas meninas. Muitas abandonadas pela própria família, namorados e amigos...

 

Entendem, agora porquê, para quem se sensibiliza tanto com a Maternidade, a experiência deste Natal sertão difícil de colocar por palavras?

 

Foi bom. Só isso, apesar de tudo. Só. E tudo...

 

Acredito que seja para repetir. Acho que os meus Natais (e não só, obviamente, mas falo do Natal pelo simbolismo inevitável) vão, a partir deste ano, fazer muito mais sentido. E espero que os meus filhos, conforme crescerão no seu tamanho e no seu entendimento do Mundo, me consigam ir acompanhando nesta jornada de fazer o bem. E que os valores que tanto me assustam na sociedade atual não corrompam o "trabalho" que eu vá fazendo com eles no que a esta sensibilização diz respeito...

 

Pode ter sido um "pequeno-nada", mas foi o meu "Grande-pequeno-nada"  deste Natal. Maior que o urso gigante que  ofereci aos meus miúdos, maior que a brincadeira da chegada do Pai Natal. Maior que a pequena e orgulhosa ceia de dia 24 que ofereci à família mais próxima na minha amada casa/refúgio que senti tão quentinha nessa noite...

 

A verdade é que foi tão compensador que, será, sem dúvida o primeiro passo para esta minha nova relação próxima com esta Associação e quem sabe com outras.

 

É engraçado, que nas ações solidárias, todos acabamos mais cedo ou mais tarde por encontrar a "nossa causa". E eu acho que a minha é mesmo esta. Mulheres ( tenham a idade cronológica que tiverem) que vivem a Maternidade e a Grandiosidade de educar os seus filhos... sozinhas. E olhem que às vezes a solidão existe, mesmo quando estamos rodeados de gente... 

 

Ser Mãe é tão bonito que tem e deve que ser partilhado. E por isso, que também sejam abençoados/as os verdadeiros e as verdadeiras voluntários/as (adorei conhecer e ver o carinho com que a Isabel e a Elena tratam estas "miúdas" e que também nesse dia abdicaram das suas "verdadeiras" famílias para estar com estas 10 Mães e seus rebentos) e quem se dedica de corpo a alma a quem... não tem ninguém.. nem no Natal, nem no resto do ano.

 

Beijos a todas as meninas com quem partilhei o almoço de Natal deste ano. Das meninas da família Mendes (Rita, Matilde e Mariana). Não imaginam o que partilhar este momento com vocês... significou para mim.

 

Não deixar nunca de Amar... Essa é a lição. Nunca...

É mesmo o Amor pelo Próximo que faz mover o Mundo do Bem ...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Almoço de Natal na Ajuda de Mãe

 

 

 

Feliz muito feliz...

Depois de dois dias loucos de contatos e deligências consegui... consegui que o meu Natal seja diferente e faça sentido.

Sim, porque ao acompanhar de perto dificuldades maiores que as nossas...essas relativizam-se e o nosso coração enche-se de esperança e luz...

O meu almoço de Natal - queria muito que tivesse sido a ceia mas o fato de ter sido uma proposta feita muito em cima da hora inviabilizou essa opção- vai ser passado com um grupo de Mães (umas gravidas,outras já com os seus bebés) que têm no projeto social "Ajuda de Mãe" a sua casa, o seu apoio...

Nada de maridos, nada de mães, sogras, amigas ou babás para ajudar. 

Elas e mais elas. Elas e as suas dúvidas e dificuldades.


E no dia 25... elas, os seus bébes e eu (talvez só a Matilde possa mas os bebés são todos pequeninos e por isso até é mais próprio). 

E... as prendinhas que à ultima hora a Mustela Portugal e a Hollywood Nails Portugal disponinilizaram para ajudar estas miudas a sorrir mais um pouco.

E pronto. É isto!!!

A vida é feita de momentos de reviravoltas,de tristeza transformada em sorrisos...

Beijo e... feliz Natal a todos/as vocês.

E por favor... deêm MESMO valor ao facto de terem uma familia que faça sentido ao vosso lado ***

 

 

 

 

 

 

Solidariedade x 26

 

A Quinta do Roseiral na Zona da Ericeira foi uma grandes surpresas que tive nos últimos tempos...

 

E há coisas que nos "caem" mesmo assim no colo, de vez em quando e que... mais do que fazer sentido... aparecem na altura certa.

 

Eu explico. Por aqui, já tinha referido ocasionalmente, a minha tristeza e incapacidade em dar resposta a tanto pedido de associações de responsabilidade social e a outros tantos projetos de apoio... a verdade é apesar de todos, obviamente merecerem a minha atenção e carinho, há sempre uma ou outra temática que mais me tocam e a verdade é que de quando em vez, lá me vou associando a essas causas.

 

Mas... como em tudo (e se acompanham o meu blog conhecem as vozes críticas e os "haters" que por vezes aparecem a apontar o dedo a tudo e a nada)... aconteceu que, quando publicamente me manisfestei, por exemplo dando "voz" à Make a Wish ou à APCD, de crianças desaparecidas... quase automáticamente recebi mails em que "denunciavam"  o porquê de me associar a umas e não a outras, que devia ter amigos aqui e acolá, que dava importância às Associações "grandes" e não às pequenas... uff... nem imaginam.

 

Ou seja, o que era para ser uma coisa "do bem", torna-se um pesadelo... em que me apontam (mais uma vez o dedo) quando a intenção foi sempre a melhor e... as pessoas têm obviamente que perceber que o blog tem que ter temas variados... 

 

Resumindo, decidi que não ia publicamente dar a cara por nenhuma delas (apesar de isso me custar, acreditem...), implicando essa decisão não só no respeita ao blog, como à Rita Mendes figura pública ou à Dj Rita Mendes e Dj Mendinha... Porque se o fizesse, em vez de me sentir feliz e reconhecida pela ajuda dada... acabaria por ser atacada por "fazer por uns e não por outros"... Oh vida injusta... por uns, acabam por perder todos...

 

Foi no meio de semanas a pensar e a engasgar-me nestes pensamento que... me apareceu este projeto, chamado Natal Solidário by Quinta do Roseiral.

 

Através de um amigo que se envolveu e se lembrou de mim... e depois através da amiga desse amigo...  que me trouxe até aqui. E envolvi-me, pronto... Meu Deus! Parecia uma epifania!! Um projeto que ajudava ... 26 associações. Que maravilha!! E que sentido fez para mim, no meio de todo este contexto que vos expliquei..

 

Era isto! Era perfeito. Ao envolver-me neste projeto em particular, iria poder ouvir in loco, e tomar contato com todos estes projetos e... dar a cara por todos, sem distinguir ninguém, ou mostrar preferências...Brutal! Sim, porque, na realidade, todos o merecem, nem mais um, nem mais outro...

 

O projeto consistia numa tarde cheia de actividades para miúdos e graúdos em que muitos dos parceiros oficiais deste espantoso Quinta do Roseiral, contribuiram com donativos e em que todas estas associações tiveram hipótese de fazer as suas vendinhas de Natal, angariando assim dinheiro indispensável para as suas atividades.

 

E pronto... acho que as imagens "não oficiais" do Evento.... by Barriga Mendinha, descrevem a boa onda e o empenho com que a Ana Dias e a Susana Maia (as duas manas que estão à frente do espaço) imprimiram em todo este acontecimento.

 

Foi uma tarde diferente, muito bem passada, em que fiquei encantada com este espaço inserido numa zona que amo (Sto. Isidoro, entre a Ericeira e Mafra).

 

Assistimos a teatro infantil, estivémos num lanche solidário onde ouvimos os representantes de diversas das Associações presentes, os babies divertiram-se com os pavões que existiam no jardim, fizeram pinturas faciais, cantaram e dançaram, houve um desfile no final... e com uma organização primorosa acreditem.

 

Para o ano... há mais. E espero... que sempre a crescer. E com o meu apoio e da Barriga Mendinha, claro! Tudo isto me fez sentido.. e me "deu muito jeito"... é bom poder abraçar 26.. em vez de 1 ou 2, realmente é... 

 

É bom, perceber que no meio de sofrimento e dor, há pessoas tão boa vibe, tão lutadoras, tão especiais. E é bom , ter contato próximo com essa realidade. E é bom, que mesmo pequeninos, os meus filhos, entendam que são uns sortudos pelas condições de vida que lhes vamos podendo dar.

 

Solidariedade não se dá, oferece-se. E sente-se no coração.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hoje a tarde é solidária...



Olá!!

Hoje é dia de "vestir a camisola" por 24 Associações Solidárias.

A Quinta Do Roseiral, na Ericeira, recebe-nos durante a tarde ( vou com os filhotes que vão adorar as iniciativas ;)) com teatro infantil, chá solidário, desfile e muito mais.

Depois conto-vos tudo.

Estou orgulhosa de fazer parte do projeto ♥